TODOS FALAM A VERDADE NO FACEBOOK??

TODOS FALAM A VERDADE NO FACEBOOK??

Muito legal este vídeo, compartilhado pela amiga Priscilla de Sá.

Sei que muita gente fala a verdade no facebook, mas muitos vivem numa ilusão – tanto no facebook, como fora dele- que é prejudicial a eles próprios.

Não é o caso de vocês que me acompanham. Essa prática de mentir é patológica e merece tratamento, ainda mais numa sociedade cujos valores estão corrompidos.

Mas vale a reflexão do filme.


CONSTRUA SUA HISTÓRIA BASEADA NA VERDADE DOS FATOS.


Acredite, todos nós em algum momento, fracassamos e em outros, temos sucesso. S

ÃO FASES DA VIDA.
O que você acha sobre isso?

 

Anúncios

O veleiro e o cérebro

Você já deve ter presenciado uma pessoa mentindo ou que te passou uma opinião sobre um determinado assunto e depois, na frente de outros, falou, completamente diferente.

Advogados que defendem a inocência de corruptos e bandidos declarados. Políticos com discursos maravilhosos e que você descobre depois, era mentira.

Depoimentos e testemoniais de clientes satisfeitos ,na televisão, nos vídeos e que você sabe, foram comprados ou conseguidos mediante alguma barganha.

Por que será que tantas pessoas mentem , publicamente, se sabemos que o cérebro humano é ético, cientificamente falando?

Você já viu um veleiro deslizando sobre a água? Observou a inclinação enorme que ele consegue? Parece que a vela vai tocar a água ou que o veleiro vai virar , não é mesmo? Mas ele foi feito para recuperar o equilíbrio e, raramente vira.

Assim é o cérebro humano, aderna , mas não vira,   com exceção de psicopatias , problemas mentais. A pessoa sabe que mentiu, sabe que aquilo que falou não é a verdade e ele terá que acertar consigo mesmo, na hora do travesseiro.

Ninguém consegue mentir para si próprio. A própria pessoa cobra essa “conta” dela mesma, em algum momento de sua vida, embora quando as coisas começam a acontecer busca explicar citando fatos estranhos, doenças injustificáveis , acidentes ao acaso, mas as autossabotagens são os agentes punitivos inconscientes cujo responsável é a própria pessoa. Mas isso, é assunto para outro artigo.

veleiro e cérebro